Sinais de Natal II – uma nova bola na árvore

Cá por casa poucas coisas anunciam a chegada do Natal como a compra de uma nova bola, representativa do nosso ano.

Tudo começou quando, em 2012, prestes a passar o nosso primeiro Natal juntos, quis espicaçar um pouco do romantismo do meu hoje marido e lhe pedi que me surpreendesse com um enfeite original para a nossa primeira árvore de Natal em conjunto.

Ele ficou aflito, como fica sempre que lhe peço algo sem lhe dar grandes parâmetros. Tem medo de não corresponder à expectativa que já me cansei de explicar que não tenho.

Naquele caso, só queria mesmo que ele perdesse um tempo a escolher algo com significado para ele, logo, para nós.

Quando me ofereceu a primeira bola da fotografia que ilustra este artigo, com uma foto de nós dois dentro ainda não sabia que estava a criar uma tradição na nossa família (composta de nós dois na altura).

Achei enternecedora a escolha, pendurei-a com o maior carinho num lugar bem destacado.

No ano seguinte chegou o Martim para nos acabar de felicidade e achámos que o seu primeiro Natal nas nossas vidas tinha também que ter lugar na árvore.

Desde então cada Natal chega uma bola nova e já lá vão seis.

Afeiçoei-me muito ao simbolismo de fechar cada ano relembrando os momentos felizes da nossa família, cada vez maior.

Afeiçoei-me também ao bom prenúncio de começar um novo ano com o compromisso de criar momentos como aqueles.

O improviso do meu marido encurralado por um pedido meu tornou-se um dos meus sinais de Natal preferidos.